Síndrome de Fadiga Crónica | Tratamentos não Farmacológicos
O músculo, como qualquer outro ’órgão’ vivo, quando não é utilizado sofre um progressivo declínio de função. As dores e a fadiga levam a que muitos doentes se coíbam a fazer determinados movimentos que exacerbem a dor e o cansaço, tornando-se assim inactivos.
Contudo, esta não é a melhor opção, visto estar provado que determinado tipo de exercício, adaptado à capacidade do doente, pode ser a melhor solução a médio e longo prazo.
A maioria dos doentes com FM/SFC apresenta-se com má forma física. Por isso, os músculos para desempenharem uma determinada tarefa consomem mais energia o que contribui para aumentar a fadiga.
A prática regular de exercício deve fazer parte do estilo de vida habitual do doente e não deve ser considerada apenas como uma medida terapêutica transitória.

Estes doentes devem por isso ser encorajados a iniciar e continuar um programa de exercícios aeróbios de resistência muscular e informados que uma dor ligeira ou moderada nos músculos após o exercício não é prejudicial.

O tipo de exercício deve ser individualizado dependendo quer da vontade do doente quer da intensidade dos sintomas. O exercício aeróbio gradual, com o objectivo de alcançar uma boa forma física, é muito importante. No entanto, o doente e o médico devem ter em conta que:
1. o treino a executar deve ter em vista a saúde o que é diferente do treino desportivo;
2. o exercício realizado em água quente pode ser melhor tolerado pelos doentes menos treinados ou mais incapacitados,
3. o ritmo ideal de exercício aeróbio deve ser de cerca de 30-40 minutos 3 vezes por semana.


Os exercícios físicos na FM/SFC, além de melhorarem a capacidade cárdio-respiratória (passadeira, bicicleta, natação, etc.), actuam sobre o sistema músculo esquelético desenvolvendo a resistência muscular localizada, aumentando a força e favorecendo a mobilidade de grupos musculares que normalmente se encontram em contracção prolongada fazendo a pessoa sentir-se melhor e mais saudável.

O limite do que deve ser feito é determinado em conjunto pelo doente e o técnico que o acompanha e deve ter em conta: a idade, a presença de doenças concomitantes e limitações do sistema locomotor que podem ser agravadas com alguns exercícios.
De acordo com alguns estudos, os exercícios devem ser praticados no período da manhã, mas os cuidados com a postura devem ser aplicados durante todo o dia, no sentido de prevenir possíveis sobrecargas e esforços repetitivos.

Constata-se ainda, que a prática de exercício físico aumenta a auto-estima, o bem- estar físico, diminui o tecido adiposo, melhora o humor, promove uma postura mental mais positiva e predispõe para actividades antes evitadas tornando os doentes mais activos e pode inclusive nalguns casos contribuir para reduzir a medicação.

Em conclusão, melhora a qualidade de vida e socialização do doente.


Resumindo, os objectivos do exercício físico são:

- Ganhar e manter uma boa condição física
- Atingir e estabilizar um peso normal
- Praticar uma boa postura estática e dinâmica
- Manter músculos relaxados e flexíveis
- Desenvolver resistência muscular
- Fortalecer os músculos fracos ou tensos
- Evitar esforços excessivos principalmente se estiver fatigado
- Melhorar os sintomas de dor
- Melhorar a disposição
- Auxiliar no controle da ansiedade
- Melhorar a auto-estima

Developed by: Centro de Informática - Instituto Politécnico da Guarda